As opiniões deste blog não representam, necessariamente, o conjunto dos pastores batistas: homens ou mulheres.

sábado, 6 de setembro de 2014

Tudo o que um poema não faz




Minha grande amiga me disse inúmeras vezes para escolher um "pedreiro" para viver a vida. Nada contra pedreiros, mas ela dizia para encontrar uma companhia menos complicada.
Todo mundo  sabe que há certo tipo de gente que gosta de complicar tudo. Tudo mesmo. Mea culpa, jamais reduzi minhas expectativas ao simples, por mais que ache esse o melhor caminho.
Mas sabe o que é? Em negócios do coração, pra mim, funciona assim:
1. De repente, sem esperar nada, eu vejo
2. De repente, sem planos, descubro que quero
3. De repente, com doçura, chega o sentimento
4. De repente...   Drummond, Fito Paez e tudo fica pequeno.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário